RPG Souchard – Bate Papo com a Dra. Ana Lúcia Motta

Depois que comecei a postar sobre as minhas sessões de RPG, algumas pessoas vieram me pedir mais informações sobre a técnica e por isso resolvi bater um papo e tirar todas as minhas e as suas dúvidas com a Dra. Ana Lucia Motta, fisioterapeuta, responsável por um projeto muito bacana – o Corra com Postura (inclusive com páginas no facebook e no Instagram – vale a pena segui-la por lá!) .

Vamos conferir?

Dra. Alessandra, eu e a Dra. Ana Lucia Motta

Dra. Alessandra, eu e a Dra. Ana Lucia Motta

Eu: Dra. Ana, pode nos contar, inicialmente, um pouquinho sobre você e sua experiência profissional?

Sou fisioterapeuta formada há 15 anos. Quando fui fazer vestibular, eu não  sabia o que eu queria fazer, só tinha certeza que queria área da saúde. Fiquei na dúvida entre odontologia, educação Física e fisioterapia. Optei por fazer fisioterapia por frequentar muitas clínicas sendo paciente, me recuperando de lesões do esporte. Depois de formada, trabalhei 2 anos com fisioterapia convencional, estava desanimada com os resultados, querendo largar. Foi quando uma conhecida falou para eu ir fazer a RPG. Eu não tinha a mínima ideia do que se tratava, só sabia que era uma terapia com as mãos. Fui fazer umas sessões com uma amiga antes de ir para o curso. Nessa época, eu tinha dores terríveis e estalidos dos dois lados na ATM (região da mandíbula). Após  apenas 3 sessões de RPG , já estava com estalido só de um lado. Lá fui eu, então, super animada  para o curso, um intensivo de 2 semanas seguidas.

Para mim foi como se tivesse feito outra faculdade. Conheci o poder das minhas mãos e pensava: “Porque tirar a dor de um paciente com aparelhos se posso tirar com minhas mãos e com ajuda dos pacientes?” Me apaixonei pelo método, voltei do curso encantada e a partir daí nunca mais trabalhei com aparelhos, só com minhas mãos.

Eu: De modo simples, poderia explicar pra gente o que é a RPG, mais especificamente do método Souchard?

RPG quer dizer Reeducação Postural Global. O principal objetivo do método é ajustar a postura para a reorganização dos segmentos do corpo, permitindo assim o reequilíbrio dos músculos e o alívio da dor. Cada pessoa reage de forma diferente a um determinado problema e por isso a maneira de combatê-lo deve ser personalizada. As sessões de RPG consistem em exercícios práticos para evitar e aliviar os diversos tipos de dores com posturas que ajudam a alongar a musculatura e contribuem para dar mais forma ao corpo. O grande diferencial da RPG Souchard é tratar o individuo como um todo, e não somente a patologia apresentada (sintoma). As Mãos dos fisioterapeutas RPGistas modelam o corpo humano, levando saúde globalmente, atingindo áreas muitas vezes esquecidas, corrigindo alterações e principalmente mudando padrões e trazendo não apenas mais saúde à sua vida, mas muita vida à sua saúde. A Reeducação Postural Global  identifica e alonga a musculatura considerada responsável pela alteração postural.

O Método Souchard é o autêntico e verdadeiro método de RPG, diferente de diversos outros métodos que surgiram posteriormente, mas utilizam a mesma sigla. Além disso, diferente do que muitos acreditam, a RPG Souchard não diz respeito apenas à postura correta, mas trata de dores e movimentos do corpo inteiro, além da respiração. Como disse, um dos diferenciais do método está relacionado ao fato de tratar o indivíduo, não só o SINTOMA . Como cada pessoa reage de forma diferente a um determinado problema, por isso, a maneira de combatê-lo deve ser personalizada.

Eu:  Após poucas sessões, eu tenho sentido diferença na minha postura ao sentar, principalmente (quando “me largo” demais, incomoda), bem como tenho sentido que tenho conseguido controlar melhor a respiração durante os treinos de musculação. Posso realmente atribuir isso à prática da Método da RPG?

Esse é o nosso objetivo: a postura errada deve incomodar. Os resultados são perceptíveis desde o primeiro contato com o profissional e um dos primeiros benefícios é o aumento da consciência corporal do paciente.

O alongamento global propiciado pelo método aumenta a flexibilidade e, consequentemente, a amplitude de movimento articular. É capaz de reabilitar lesões incapacitantes, como é o caso da hérnia de disco e dores lombares, bem como alterações oculares, cervicais e do trato urinário. Além disso, é um dos métodos mais eficazes para o controle postural e alterações decorrentes da má postura.   A  respiração diafragmatica que usamos na RPG, ajuda a aliviar as tensões da região de ombro e pescoço, pelo fato de contrair o músculo diafragma e não a musculatura que auxilia na respiração como peitoral, esternocleido, O Fato de você estar sentindo a melhora da respiração é pelo treinamento da respiração diafragmática. Você passou a utilizar um músculo que estava adormecido, e parou de sobrecarregar outros. è sinal que sua consciência corporal está querendo voltar ao normal.

 

Eu: Considerando que nosso público, aqui no Corre, Mulher! é composto em sua maioria de mulheres, atletas amadoras de todos os níveis, quais os benefícios podemos esperar com a RPG Souchard aliada aos treinos específicos de corrida?

Dra. Alessandra em ação. Melhoras sensíveis a cada sessão!

Dra. Alessandra em ação. Melhoras sensíveis a cada sessão!

A prática de esporte enrijece e encurta os músculos, e músculos enrijecidos comprimem as articulações, que por sua vez que limitam movimentos e causam dores, fazendo com que o corpo não funcione bem. Depois de uma atividade física há desgaste, por isso o corpo necessita de alongamento pelo excesso de movimento. Treinamento exagerado leva os músculos ao enrijecimento e consequentemente, a perda de potência. A força muscular está relacionada com a flexibilidade. Atletas possuem alterações posturais pré-existentes que influenciam no equilíbrio corporal, e podem ser agravadas com a prática do gesto específico do esporte se não alinhadas.

A postura correta na hora da realização de qualquer atividade física, desde a musculação até a natação, é de extrema importância para evitar lesões e aumentar o desempenho. É importante entender o gesto específico do esporte praticado. A preparação do gesto irá condicionar sua eficácia.

As sessões de RPG proporcionam para o atleta, profissional ou amador, a melhora da amplitude do movimento, a qualidade elástica dos músculos envolvidos, flexibiliza as compensações, fortalece o músculo o suficiente para manter o corpo ereto contra a gravidade e conscientiza o atleta da maneira correta de realizar cada exercício.

Eu: Qual a sua ligação com o esporte? Pode nos contar um pouco sobre seu projeto “Corra com Postura”? 

Quando era criança sempre gostei de esportes e atividade física. Fui atleta de Handebol dos 10 aos 21 anos. Desde o início da minha carreira com a RPG  Souchard, comecei a acompanhar atletas profissionais de vários esportes, como stock car, atletas de futebol paranaense, triatlon, natação, golf, corrida entre outros. Sempre  estive ligada ao esporte.

Em 2008, tive a oportunidade de acompanhar os ensinamentos do Prof Nuno Cobra que foi preparador físico do Ayrton Sena, autor do livro semente da vitória, e com um Incentivo de um amigo  e paciente, comecei a correr para perder peso. Tinha passado por muitas mudanças na vida pessoal e, depois de anos de corrida nos parques (mais de 3.500km completos), algumas provas de 10k, completei uma meia maratona no Rio de Janeiro, em 2013. Me sentia realizada ao terminar a prova e poder sentir várias sensacões que só quem corre sabe.

Assim, depois de muitos kms rodados observando atletas corredores, com alterações posturais, alterações biomecânicas da corrida, que se corrigidas tem tudo para melhorar o desempenho no esporte, comecei a me interessar cada vez mais por corrida. Assim, em 2013 fiz um curso de avaliação da biomecânica da corrida, com uma francesa, Carine Begoin, atleta de atletismo e dona de uma clínica de corrida, iniciando meu projeto em 2014, com uma avaliação da corrida nos princípios da RPG Souchard.

No próximo dia 19/09 estarei fazendo outro curso de corrida na Biocinetica, no Rio de Janeiro. Eles são referência no Brasil e avaliam atletas de ponta como Medina, entre outros.

Nossa ideia é lançar em 2016 a avaliação da biomecânica da corrida para atender pessoas que já possuem alterações posturais preexistentes que, associados com o movimento repetitivo do esporte, adquirem a alteração daquele esporte específico por sempre encurtarem o mesmo grupo muscular e fortalecerem sempre outro grupo. Percebi que este trabalho é necessário pois é muito difícil para aqueles que amam correr, terem que parar por lesão.

Eu: Mas e você, como corredora, já sofreu alguma lesão?

Graças a Deus, eu nunca tive que parar por lesão. Procuro fazer minhas sessões de RPG semanalmente. E por sentir em mim o efeito das sessões vejo a necessidade de um atleta ter seu corpo alinhado, melhorando sua amplitude de movimento, com a melhora do gesto esportivo, o aumento de percepção e aumento do tempo de vida útil no esporte.

Eu: E as provas, Ana? Quais são as próximas metas?

Atualmente não tenho participado de provas, mas corro 4x por semana. Gosto de sair do consultório no final de tarde e ir correr. É a minha válvula de escape. Se não corro ,chego a ficar de mau humor. Estou querendo me desafiar novamente, e fazer a meia de Pomerode em novembro. Então… Bora correr! mas com Postura! 🙂

Anúncios

Lábios rachados nunca mais!

O dia do beijo já passou, mas mesmo assim é bom falar garantir os lábios suaves, não?

No ano passado, no início do inverno, eu pedi ajuda, pelo blog, para que me indicassem bons protetores labiais, pois meus lábios são super sensíveis e racham, ardem super facilmente e pra piorar, ainda tenho a mania de ficar arrancando as peles soltas e machucando ainda mais.

Então, depois de testar alguns produtos por dois invernos (o do ano passado e o mês de janeiro, nos EUA), cheguei a uma pequena lista, com 4 produtos que têm me ajudado bastante a manter os lábios macios, mesmo pegando o frio da manhã quando saio pra correr. Quem corre sabe que nos dias mais frios a pele sofre e o lábio costuma ser o mais prejudicado, então o ideal é começar a se prevenir desde já, enquanto as temperaturas ainda estão amenas!

Segue abaixo a lista, sem qualquer jabá, só com as minhas reais impressões:

20150415_080621[1]

Nivea Med Protection FPS 15 – Em bastão, foi o primeiro que comprei. É fácil de achar, em farmácias ou até mesmo em supermercados. É bom para o uso diário, preventivo. Como ele tem uma pequena proteção solar, ajuda a manter os lábios em ordem, mas, quando o lábio já está ressecado e machucado, não dá uma sensação de grande melhora. Uso, às vezes, antes do batom. Preço médio de R$ 10,00

Bepantol Derma Regenerador Labial – Em bisnaga, creme de fácil absorção.  Tem um cheirinho e gosto de pomada, mas de leve, nada que encomode e ajuda, realmente, na regeneração do lábio já danificado. Encontra-se em farmácias. Preço médio R$ 25,00

EOS Lip Balm – É o lip balm da modinha, aparece até em clip da Miley Cirus. Com embalagem fofa, redondinha e colorida, com diversos “sabores” diferentes, aparece em vários clipes de divas pops. No entanto, é realmente muito bom. A consistência é boa, dá sensação de que dura na boca e pode ser usado tanto para prevenir, como para recuperar. Se for viajar pra fora, vale a pena trazer vários, inclusive para dar de presente para as amigas, pois lá é baratinho e não tem quem não use! Paguei U$2.99 no Target, em Miami. No Brasil, não é tão fácil encontrar, mas poderá achar em sites especializados entre R$ 17,00 até R$ 29,00.

Carmex – Mais um “das gringas”. Com opções em bastão, creme ou bisnaga, é super econômico. Comprei a embalagem com 3 bisnagas por apenas U$ 2.79, também no Target de Miami. A opção de bisnaga é uma pomada grossa, com cara e cheiro de “Gelol”, dá inclusive aquela sensação de formigamento quando passado no lábio. Mas é, de longe, a melhor opção pro lábio muito machucado. Só passo quando é caso de calamidade e preciso de um “tratamento de choque”. No Brasil, também é possível achar em sites e lojas especializadas a partir de R$ 16,00.

Você já experimentou algum deles? O que achou? Tem outras sugestões? Compartilha suas impressões com a gente! O inverno chega logo e não queremos ninguém de lábio machucado, não?

Desafio Braves – 1ᵃ Etapa 2015

Como eu já havia adiantado por aqui, ontem fui conferir como é uma “MudRace”, ou seja, uma corrida de obstáculos na lama.
Meu marido e colegas de trabalho montaram dois trios (um masculino e outro misto) para participar da prova, que tem 3 etapas programadas para este ano e eu fui junto, para registrar tudo e contar por aqui.
Pra quem acha que eu me convenceria a participar da próxima etapa, já na chegada, vi que realmente não era prova pra mim… logo depois que estacionamos, eu já escorreguei numa descida de estrada de chão e fui com o joelho direito no chão, o qual ficou todo ralado e inchado… Mas, tudo bem… era só o início do dia e eu sabia que não chegaria limpa até o fim!
Ano passado, na primeira edição aberta ao público externo (as primeiras eram para alunos da Academia Be Happy, organizadora), eram 500 inscritos. Desta vez eram 1500, motivo pelo qual a largada foi divida em baterias – Primeiro as baterias individuais, depois em dupla e, por último, em trios.
braves1Meu marido e os amigos, de olho no prêmio de melhor fantasia (que não veio), resolveram correr de camisa e gravata. Imagina se não chamaram a atenção? Entre as explicações do “povo do escritório” ou dos “doutores” como foram chamados, era que estavam fugindo da operação “Lava Jato”, que iam para o culto, que tinham uma reunião importante e – a minha preferida – que eram o Noivo e os padrinhos do casamento que aconteceria logo depois da prova! Foi com certeza uma diversão à mais na prova que por si só já é uma loucura.
braves3Eles largaram já mais pro final, então não tinha como ter pressa. Eram filas para passar para os obstáculos. Embora a opção por não fazer algum obstáculo acarretasse muitas vezes em penalidade de tempo menores do que a espera, em geral os participantes optavam por enfrentar as filas, pois numa prova como essa, muito mais do que concluir rapidamente, o importante era o sentimento de superação.
Eu, de máquina fotográfica em mãos, ficava correndo de um lado pro outro, tentando registrar o máximo possível da participação deles, de forma que acabei a prova super suja de lama e toda vermelha do Sol, pois levaram cerca de 3 horas para vencer todos os obstáculos (e sim, eram muuuuitos!)
braves2O lugar (CT Leandro Silva, um centro de treinamento para motocross) é incrível e o trabalho de meses para construir os obstáculos é de ser valorizado. Muito capricho e segurança para atender os atletas (claro que um outro acaba se machucando, mas o staff estava de prontidão para atender, com ambulâncias dando os primeiros socorros). No entanto, só pecaram um pouco, na minha opinião, em não aumentar a estrutura da prova proporcionalmente ao aumento do número de participantes.
As filas para alguns obstáculos eram gigantescas. E para o público presente – famílias e amigos – faltou água, bebidas em geral, sendo que até mesmo para os atletas das últimas baterias faltou qualquer opção de almoço no local, pois como demoravam muito para concluir a prova, não havia mais costela, não havia mais hamburgueres no FoodTruck presente no local…
Por outro lado, eles tiveram o cuidado de entregar uma camiseta (linda!) de finisher apenas aos concluintes, como tem que ser, junto à medalha e oferecer chuveiros aos participantes (fundamental!).
Para quem participou sem stress de competir, apenas para se superar, as longas filas não estragaram a festa e a prova virou praticamente um evento para o dia todo. Meu marido já disse que participará das demais etapas programadas. Eu? Continuo com meu lema, dos “Pôneis Malditos”: “Odeio barro, odeio lama, não vou sair do lugar!”, mas que foi um dia muito divertido, isso foi!

Mais fotinhos:

braves5braves4IMG-20150412-WA0023[1]

Segue aqui o link para o vídeo no You Tube (eu filmei e meu marido editou…).

Corrida de Obstáculo: Sim ou Nem Pensar?

Desde a minha primeira corrida de rua, há pouco mais de três anos, aumentaram muito as opções de corridas. O calendário de provas, antes restrito, hoje é quase impossível de se decorar.
Para definir minhas metas e não perder o foco entre tantas provas “imperdíveis”, foi preciso um certo estudo e alguns e-mails trocados com meu técnico.
No entanto, entre as novidades, destacam-se as provas com obstáculos. Aqui, na região de Curitiba, tivemos no fim do ano passado a Braves, que terá uma nova edição agora em abril.
Em Santa Catarina, está sendo anunciada nada mais, nada menos do que a maior corrida com obstáculos do mundo, a “Black Trunk Race Apocalipse“, a ser realizada em maio na Serra do Rio do Rastro, na cidade de Lauro Muller, com nada mais, nada menos do que 21K e 30 obstáculos.
Conforme dispõe o realease enviado para a impressa (e para o Corre, Mulher) o organizador do evento, Alessandro Custódio, comenta que não há nenhuma corrida que tenha um percurso tão longo: “Esse tipo de prova é supertradicional nos Estados Unidos e Europa, mas nenhuma é tão longa e com tantos obstáculos quanto a BTR Apocalipse. Nosso público sempre pediu uma prova mais longa, mais desafiadora. Essa corrida está sendo aguardada por muitos atletas desde a primeira edição da Black Trunk Race”.

1484691_1045079548845408_1661012325676343073_n10444408_807147246032469_845995409806378679_n

Crédito das fotos: assessoria de imprensa Black Trunk Race

Crédito das fotos: assessoria de imprensa Black Trunk Race

Mas, será que nós, acostumados a correr, estamos prontos para essas provas? Ou seriam provas mais voltadas a outro tipo de público, como o do Crossfit, por exemplo?
São provas que além de correr, claro, são dispostos diversos obstáculos espalhados durante todo o percurso, como barras, tanques para se atravessar a nado, paredes a se escalar… Algumas provas incluem ainda piscinas de gelo, arames farpados e, sempre, sempre mesmo, muita lama.
Claro que, como qualquer corrida, o vencedor também é quem chega primeiro, mas a preocupação com o pace se mescla com a superação de vencer cada um dos obstáculos. Quem opta por não fazer algum deles é penalizado com tempo parado.
Alguém já participou de alguma prova assim? O que achou? Vale a pena? Seria apenas uma “modinha”?
Eu, corredora “Pônei Maldito” como já falei aqui, confesso que não tenho muita coragem, mas devo, em breve, ir conhecer (eu não disse correr, viu? CO-NHE-CER)uma dessas provas pra poder contar melhor pra vocês.
– Quanto à Braves, talvez ainda tenham inscrições do último lote, diretamente na academia Be Happy.

– Quer saber mais sobre a Black Trunk Race Apocalipse?

Informações: www.blacktrunkrace.com.br ou telefones (48) 9646-8489 / 8433-7919 Instagram: @blacktrunkrace / Facebook: www.facebook.com/blacktrunkrace

Mudança de casa

PhotoGrid_1418142868984[1]

Quem é assinante da Runner’s World Brasil já deve ter recebido a cartinha da Abril. A revista deixará de ser publicada pela Editora e passará a ser, a partir de janeiro de 2015, da Rocky Montain.

Aos assinantes, foi disponibilizado a possibilidade de migrar a assinatura para a outra editora, mudar de revista da Abril ou ainda a devolução do dinheiro equivalente às edições restantes.

A Rocky Montain está no mercado há 10 anos e é responsável pelas revistas Go Outside e HardCore no Brasil.

Mas, e o que devemos esperar dessa mudança? Já sabemos que perdemos as colunas do Iberê, do Serginho e da Patrícia Julianelli… Todos passarão a escrever em outras revistas da Abril. Mas o que vem em troca?

No site da nova editora, diz que “entre as mudanças que a Rocky Montain implementará em sua Runner’s World estão um novo e moderno projeto gráfico, mais clean e sofisticado; uma área dedicada exclusivamente às corredoras e assuntos ligados à corrida feminina; novos colunistas; e uma maior atenção ao conteúdo digital, tanto no tablete quanto no website, que também será totalmente reformulado.”

Parece bom. Eu dei meu voto de confiança e optei por migrar minha assinatura para continuar recebendo a minha Runner’s! É esperar janeiro para conferir!

Corredores Anônimos

aa

Olá, meu nome é Carla e sou viciada em corrida.

Estou abstinente há pouco mais de 10 dias. Corro já faz mais de 2 anos, mas sempre achei que poderia parar a hora que quisesse, embora acreditasse que nunca precisaria… Essa história de dependência, achava bobagem… Corria por que gostava, por que me fazia sentir-me bem, mas daí a não poder parar…

Ocorre que finalmente veio a verdade. Uma lesão no pé esquerdo. Várias “ites”: Bursite, Sesamoidite… Talvez  causadas pelo meu outro vício (esse mais antigo, mas que foi agindo de forma silenciosa… o salto alto), mas acentuadas pela corrida e o recente aumento de volume de treino. O certo é que meu pé pedia um descanso.

O médico então me pediu para parar por 30 dias. Não, não é uma sentença de morte. Eu posso aguentar, pensei… um mês apenas, férias durante a Copa… Por outro lado, ele sentenciou, sim: Nada de Meia Maratona em Agosto. O recomeçar deve ser leve.

Não está sendo fácil. Sei que é algo razoavelnente simples e que estou fazendo “tempestade em copo d’água” mas chorei até algumas vezes. Até indo trabalhar de carro por alguém correndo na ciclovia…

Meu despertador continua tocando às 5h00 da manhã por que meu marido tem treino e eu levanto cedo para ajudá-lo com o café da manhã. E é difícil vê-lo sair e não poder ir junto e saber que também não irei à noite.

E confesso que deu uma desanimada também da academia. Eu sei que tenho que fortalecer os músculos para evitar novas lesões, mas o fato de não correr a Meia Maratona de Curitiba me abateu de verdade. Estou sim, fazendo musculação, mas perdeu um pouco a graça. Escrever no blog está mais difícil, mas o retorno dos leitores/seguidores por aqui e nas redes sociais é uma das coisas que me fazem querer continuar lutando e me esforçando. Eu só tenho a agradecer!

Semana passada iniciei a fisioterapia…  Até melhorou um pouco meu humor. Um passo de cada vez.
Não vou correr hoje. Só por hoje. É  essa a ideia. Dia após dia, até que o médico me dê alta…

Boa dica: Seja para o longão ou para o off de domingo

Gente, fiquei tão feliz com uma notícia que recebi que vou ter que divulgar!!!

Lumen FM 99.5 está lançando o programa Rock And Run 99.5 com estreia neste domingo, 15/06, das 9h às 10h, trazendo dicas e orientações sobre corrida de rua, ciclismo, natação, triathlon e esportes afins. Tudo regado com a melhor seleção musical para embalar os treinos dos ouvintes da rádio que traz o som do bem estar.

E a apresentação fica a cargo de quem??? Da minha amiga e parceira de corrida Silvia Sprenger! A Silvia, além de fã e conhecedora do bom Rock and Roll, acaba de estrear muito bem na Meia Maratona de Florianópolis (dia 08) e agora será a hora da estréia ainda melhor no programa novo!

PhotoGrid_1402492085896[1]

O programa também terá a participação de especialistas em esporte e nutrição, como o profissional de Educação Física Fábio Moralles Alonso (Tchê), da Trainer Assessoria Esportiva – (a minha!), e da nutricionista Sandra Trevisan, colaborando com dicas e orientações para a prática saudável da atividade física.

O Rock And Run 99.5 ainda trará entrevistas com atletas profissionais e amadores, fisioterapeutas, profissionais da área médica e, claro, o calendário das melhores provas esportivas do país.

Segundo explica Rogério Chiocchetti, coordenador de rádios da Lumen Comunicação, da qual a Lumen FM faz parte, “Caminhando ao encontro do slogan ‘Lumen FM, O Som do Bem estar’, o Rock And Run 99.5 nasce com objetivo de oferecer informação e música de qualidade para atletas e pessoas que  desejam iniciar a prática esportiva, estimulando os ouvintes a realizar atividade física e promover a qualidade de vida”.

Olha, se depender da Silvia e do Tchê, tenho certeza que vão atingir o objetivo!!

única foto que encontrei minha, da Silvia e do Tchê... kkkk  O Tchê é a Múmia... ainda tem o Samir de King Kong e a "diabinha" Fabi!

Halloween Night Run – única foto que encontrei minha, da Silvia e do Tchê… kkkk
O Tchê é a Múmia… ainda tem o Samir de King Kong e a “diabinha” Fabi!

 

Ah, além dos programas aos domingos, ainda durante a programação semanal da Lumen FM, o Rock And Run 99.5 será apresentado em formato pocket, com dois boletins diários trazendo dicas para treinos, boa alimentação e afins.

 Quem não for de Curitiba e região, ainda pode ouvir pelo site da rádio:  www.lumenfm.com.br

Sobre a Rádio Lumen FM – 99.5

A Lumen FM é uma das emissoras da Lumen Comunicação, grupo de mídia sediado em Curitiba. A rádio transmite e dissemina a educação e a cultura por meio de uma diversificada programação musical e jornalística. Aprovada pelo Ministério da Cultura como única rádio do Brasil com toda a programação inserida na Lei Rouanet, conta com o Patrocínio Master do Grupo OVD, Volvo e com o apoio cultural da Editora FTD.

Fontes: A própria locutora, claro, e a assessoria da imprensa do grupo Lumen, que gentilmente enviou-me um release!

Em tempo: falei que a Silvia tinha estreado em meias maratonas na prova de Florianópolis neste ano… mas ela já tinha corrido a mesma prova anos atrás…

Alongar é preciso

PhotoGrid_1393698793011

Desde o dia 1˚ de janeiro eu vinha sentindo muita dor. Principalmente nos movimentos de agachamento, mas a ponto de atrapalhar e muito as atividades corriqueiras do dia a dia, como pegar um sapato na parte de baixo do guarda-roupa ou subir e descer as escadas de casa ou do trabalho.

Levei um mês para ir ao médico, mais uma semana para fazer a ressonância e outra para levar o resultado para o médico.

Estava morrendo de medo de escutar que teria que interromper os treinos, adiar o projeto da meia maratona… Claro que espiei o laudo do exame e vi três ou quatro vezes a palavra “lesão” nele…

Mas daí sento na frente do médico e o que ouço, com um misto de alívio e vergonha) que o que tenho – Síndrome da Banda Iliotibial – na verdade ocorre somente face o encurtamento que tenho na coxa… por falta de alongamento!  O médico receitou-me uma injeção milagrosa que fez a dor sumir em poucas horas e alongar, alongar e alongar…

Sobre o tema ainda tenho muito a aprender e estou pedindo ao staff da minha assessoria para me ajudarem…

E é à Assessoria que recorro agora também pra falar um pouco mais de alongamento

Segundo Eduardo Arzua, técnico da Trainer, no espaço “Fala Treinador“, o ” alongamento antes do exercício não impede a lesão; o que aumenta a chance de lesão é a falta de flexibilidade, ou seja, o encurtamento muscular” – o que posso concordar, face experiência própria!

Ele ainda fala dos três tipos de alongamento existentes:

“- Dinâmico: consiste em movimentos lentos que, gradativamente, vão ampliando a mobilidade articular. Geralmente segue a realização de movimentos musculares específicos para determinado esporte.

Estático: o músculo é colocado na posição de alongamento funcional máximo e mantido por um período de tempo ideal, entre 15 e 30 segundos.

Facilitação Neuromuscular Proprioceptiva: consiste basicamente em um processo sequencial, iniciado por um alongamento estático e seguido de uma contração isométrica de seis a dez segundos do músculo que é mantido alongado.”

 

Na Trainer, costumamos fazer os dinâmicos antes dos treinos, e os estáticos, com auxílio do staff, no final.

Segundo meu médico (e meu técnico) ainda devo fazer alguns alongamentos, preferencialmente com auxílio de uma corda, também nos dias offs.

Confesso que estou me esforçando mas é a hora que a preguiça bate forte… Se na academia já é difícil “parar” por alguns poucos minutinhos pra alongar, em casa então, difícil até de lembrar… Mas são ordens médicas!!!

Barro? Lama? Sou mais do asfalto!

Vejo muitos amigos(as) partindo para as corridas de montanha e/ou aventura e adorando. Eventualmente vem um convite pra participar e minha resposta sempre foi a mesma: “Não, obrigada, eu gosto é do asfalto” mas então sempre ouço um “Ah, o dia que você experimentar, nunca mais vai achar graça em correr no asfalto…”

No último sábado, minha assessoria, a Trainer, voltou de seu recesso com um treino especial, com opções para duathlon (corrida + bike) ou corrida na trilha, além de um circuito funcional.

Como bike não é muito minha praia, optei pela trilha. Como era um treino festivo e dentro de um parque, não imaginei grande dificuldade (e nem havia mesmo!), porém se houvesse uma trilha sonora no local (e pra mim, quase posso jurar que havia!) só uma música tocaria:

ponei1

“Odeio barro

Odeio lama

Que nojinho!

não vou sair do lugar!”

Ok, ok… eu confesso!!!

Não, não eram os pôneis malditos de volta, era euzinha mesmo pensando alto!

Ninguém faz ideia do quanto detestei a experiência.

Fiz reclamando só um pouquinho (juro!), mas mantive o mesmo ritmo dos demais. Odiei, porém, cada segundo que estava no meio do mato, me arranhando em espinhos nos trechos mais fechados, batendo a cabeça em troncos baixos, escorregando na lama decorrente das chuvas da última semana. Pior ainda foram os trechos que desci praticamente sentada pra não sair rolando morro abaixo, morrendo de medo de me machucar e ter que adiar meus planos no asfalto.

O plano era fazer a trilha ida e volta. Graças a Deus, o lugar de parada era no asfalto. Ali, não tive dúvidas. Agradeci a meu treinador pela experiência, que me fez ter certeza que eu jamais gastarei um centavo em inscrição de prova de aventura, por mais “fácil” que digam que seja, e voltei trotandinho pela pista de corrida, contornando o trecho.

Meu marido costuma dizer que “ninguém gosta de desistentes” mas de verdade, nesse caso, não me senti assim! Eu não posso desistir de algo que nunca me propus a fazer de verdade. Topei a trilha como uma brincadeira e acredito que tomei a decisão sensata para não correr o risco de me machucar e aí sim ser prejudicada naquilo que realmente eu gosto e quero fazer, que é correr, realmente, participar de uma meia maratona em curto prazo… Corrida de montanha? Só topo ir torcer por meu marido. Ele sim, vai partir logo logo pra esta modalidade!

Acho que o legal do esporte é isso mesmo. Tem opção para todos os tipos de gente. Para todos os perfis. O meu tipo? Pode chamar de Pônei Maldito que eu nem ligo!!

ponei2

P.s.: Smack! Te quiero!  😉