Adidas Etapa Verão: Dose extra de motivação

Em se falando de corrida, e eu falo muito nesse assunto, a semana que passou foi especialmente gratificante.

No sábado já havia postado contando que cheguei em quarto lugar em minha categoria na última etapa do Circuito da Lua Cheia e, ainda, fui premiada por estar entre as 10 melhores colocadas de minha assessoria.

No domigo, porém, havia a última etapa do ano do Circuito das Estações – Adidas, o mais “concorrido” e mais festejado dos circuitos de corrida que ocorrem todos os anos em Curitiba.

Eu havia perdido a primeira prova, Etapa Outono, pois deixei pra fazer a inscrição muito em cima da hora, mas participei das outras três. Na de Inverno, em julho, terminei o percurso de 5K em 00:32:20. Na prova de primavera, no início de setembro, foi de 00:30:31. Agora vinha a prova de verão…

Por se tratar sempre do mesmo trajeto, as 4 provas do ano nos permitem um comparativo, uma base real de nosso progresso. Por isso, a etapa acabou adquirindo para mim um ar de “prova mais importante do ano”. Eu queria atingir o objetivo que vinha perseguindo desde a minha primeira prova de 5K do ano: Tempo abaixo de 30 minutos!

Embora eu tivesse todas as desculpas para justificar um eventual fracasso, por ser a segunda prova na mesma semana, pela falta do treino na sexta; cansaço pelas obras na casa da praia, ansiedade ou ainda pelas altas temperaturas e percentual de umidade do ar, eu sabia que nenhuma delas iriam realmente evitariam uma decepção caso não conseguisse.

Por outro lado, eu vinha de uma prova em que recebi uma dose extra de motivação… Isso teria que servir pra alguma coisa!! E serviu! Sinceramente, posso dizer que foi a minha melhor prova até hoje!

Corri os 5K sem caminhar. Fiquei ofegante, claro. Teve os períodos em que pensei “o que estou fazendo aqui?”, “Onde é que foi se meter, Dona Carla?”, mas eles passaram mais rapidamente do que nas provas anteriores.

Não me distrai com música, e não tive problemas com o tênis (amo meu Asics Noosa Tri 7!!! Leve, com os cadarços elásticos que não necessitam de qualquer ajuste ou amarração e não incomodam nadinha!) e, pode ser até ilusão, mas a minha sensação era de que eu mais ultrapassava do que era ultrapassada pelas outras pessoas, o que me dava mais ânimo para não diminuir o ritmo.

Consegui, assim, fazer uma prova com um ritmo constante. Consegui “achar” meu ritmo de prova, o que já é uma vitória para quem começava forte demais e depois quase não conseguia terminar as provas.

Para quem nunca participou de provas de corrida de rua, explico que, tirando, eventualmente, o pelotão de elite, que larga lá na frente, com a barriga literalmente na linha de largada, as tantas outras mil pessoas que participam têm seus tempos considerados como sendo os líquidos, ou seja, o tempo constante no relógio da chegada (bruto) menos o tempo que já constava do cronometro quando se passou pela largada. Dependendo de cada prova, a diferença entre o tempo bruto e líquido é enorme. Na Adidas, os últimos a largarem saem mais ou menos ao mesmo tempo em que os primeiros chegam, o que quer dizer em média 15 minutos.

Eu vi que havia saído em torno de 4 minutos após o início da largada. Assim, meu objetivo era chegar, no máximo, quando o relógio marcasse 33 minutos. Quando entrei no Jockey Club olhei direto para a linha de chegada e… Putz, não tem relógio pra quem chega! Ele está virado para o outro lado…

Olhei pro lado e quem vejo? A Fernanda, prima, amiga e parceira de blog!!! Será que finalmente conseguiríamos uma foto legal de corridas, juntas? Propus, então, que cruzássemos a linha lado a lado.

Embora inicialmente a Fer tenha dito que não teria forças, ela conseguiu “dar um gás” nos últimos metros e passamos juntas!!! Foi muito bom para marcar o ano em que nós nos reaproximamos e recuperamos uma amizade que andava meio “apagadinha”!

Só um pouco depois lembrei: “E o tempo???” Olhei pra traz e vi o relógio quase chegando no 34… Quase 04, Quase 34… a diferença toda seriam os segundos.

Em casa, corri para o computador para confirmar o resultado: 00:29:36! Missão cumprida!
Gráfico Circuito Adidas 2012
Agora, posso assinalar com um “ok” enorme a resolução do último ano novo de que em 2012 faria atividades físicas regulares. Agora, estou pronta para entrar em 2013 ainda mais motivada! Imediatamente já fixei novas metas: entrar para o pelotão azul (tempo de aproximadamente 00:27:30) e, até o final do ano, baixar ainda mais para em torno de 00:25:00.

Minha meta é chegar no pelotão azul!

Minha meta é chegar no pelotão azul!


A idéia não é ser melhor do que ninguém. A idéia é provar para mim mesma de que eu posso ser melhor a cada dia. A velha história do “querer é poder”.

Eu não corria. Em menos de um ano, faço 5 quilômetros em menos de meia hora.
Agora que corro, quem vai dizer que não consigo baixar cerca de 4 minutos?

Eu sei quanto suor é necessário para baixar cada um desses 240 segundos que me separam do meu novo objetivo, mas sei também que tem um ano novinho pela frente, com muitas manhãs de treino, com seus tantos quilomentros, sob Sol ou chuva, para que eu possa vencê-los.

Assim, que venha 2013!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s